O que é e-commerce: Saiba como funciona, vantagens e dicas para ter sucesso com sua loja virtual


O E-commerce (ou Comércio Eletrônico) é um modelo de comércio que se utiliza da internet como meio de propagação e finalização da compra.

É uma tendência que está ganhando cada vez mais relevância no mercado, já que traz mais comodidade, preços mais competitivos e praticidade para o consumidor.

 Isso sem falar nas vantagens para o próprio empreendedor, como economia, alcance global e disponibilidade de venda 24h por dia.

Se você está pesquisando sobre como montar um negócio para vender produtos na internet, este post é pra você.

Afinal, não basta saber que e-commerce representa venda online. É preciso entender como é possível criar uma loja virtual, analisar métricas e implementar estratégias assertivas para o sucesso do seu negócio.

Continue a leitura e saiba tudo sobre o assunto!

O que é e-commerce?

O termo e-commerce (ou “comércio eletrônico” em português) significa comercialização de produtos e serviços pela internet, onde as transações são realizadas via dispositivos eletrônicos, como computadores e smartphones.

É o caso, por exemplo, de grandes e-commerces, como Amazon, Netshoes e Magazine Luiza, por exemplo.

Desde a escolha do produto pelo cliente, até a finalização do pedido, com o pagamento, todo o processo deve ser realizado por meios digitais.

Nesse tipo de comércio, a única etapa no mundo físico é a da logística de entrega das encomendas aos compradores.

Esse tipo de comércio pode contar com diversos canais de vendas. O mais conhecido é a loja virtual. Porém, também temos outros, como marketplaces, vendas nas redes sociais e até vendas por email marketing.

Um e-commerce propriamente dito vende produtos de uma única loja, enquanto os marketplaces trabalham com diferentes lojistas. Ou seja, os marketplaces servem de intermediadores entre vendedores e clientes.

Como funciona o e-commerce?

Basicamente, no e-commerce o cliente chega à sua loja virtual e escolhe um ou mais produtos.

Os produtos são anunciados virtualmente na plataforma, funcionando como uma espécie de vitrine.

Em seguida, ele coloca esses artigos no carrinho e segue para a página em que finaliza o pedido. Ali, no momento do checkout — o momento de terminar a compra —, o consumidor preenche seus dados, como e-mail e CEP, para que o frete possa ser calculado.

Na sequência, ele segue para o pagamento. Nesse momento, ele seleciona uma entre as formas disponibilizadas — que, em geral, incluem cartão de crédito ou débito, boleto e até mesmo transferência bancária.

Depois disso, após a aprovação do pagamento, o lojista envia, por meio dos Correios ou de uma transportadora, a encomenda até o cliente.

Para ter sucesso, uma loja virtual precisa oferecer aos seus clientes as principais funcionalidades que garantam uma navegabilidade agradável, uma compra 100% segura e a garantia de que ele retorne à loja mais vezes.

Quais são os tipos de e-commerce?

Agora que você já sabe o que é e-commerce, é hora de conhecer um pouco mais sobre os principais modelos de e-commerce utilizados pelos lojistas.

Confira a seguir!

B2B (Business to Business)

O B2B é o modelo de negócio em que empresas vendem para outras empresas.

Esse modelo geralmente engloba produtos como matérias-primas, peças de automóveis e maquinários, mas também pode abranger outros tipos de mercadorias, desde que sejam para outras empresas.

B2C (Business to Consumer)

É o modelo em que as empresas vendem seus produtos diretamente ao consumidor final.

Dessa forma, a única operação encontrada é o consumo. A grande maioria das lojas virtuais se encaixa nesse tipo.

A estratégia B2C é adotada pela maioria dos varejistas tradicional, que não precisam de intermediadores para atender aos clientes.

Algumas das características do B2C são: público-alvo amplo, maior número de consumidores e ticket médio geralmente mais baixo, por exemplo.

B2G (Business to Government)

Menos conhecido, o B2G é o modelo em que empresas entram em concorrências para vender artigos para o governo, seja ele municipal, estadual ou federal.

C2C (Consumer to Consumer)

O comércio C2C é realizado entre consumidores finais, que comercializam produtos entre si.

Há muitos sites conhecidos que intermediam transações entre os clientes, como Enjoei, OXL e Mercado Livre.

Uma prática comum neste modelo é o comércio de itens usados em páginas de venda e troca de produtos, funcionando como “brechós online”.

D2C (Direct to Consumer)

Nessa modalidade, empresas do ramo industrial vendem alguns de seus produtos no varejo, diretamente ao consumidor final, pelo chamado “preço de fábrica”.

Algumas das categorias que vêm trabalhando com este tipo de relação comercial são as de roupas e calçados, têxtil, eletrodomésticos e automóveis.

Social Commerce

Nome destinado ao comércio digital realizado por meio das redes sociais.

Vantagens de ter um E-commerce

De forma objetiva, podemos dizer que as principais vantagens de ter uma loja virtual são:

  1. Aumento do alcance da empresa e prospecção de novos clientes;
  2. Atendimento dos mesmos clientes, mas com possibilidade de crescimento do ticket médio e/ou frequência de compra;
  3. Mensuração detalhada dos resultados do e-commerce, podendo fazer análises mais aprofundadas sobre o negócio;
  4. Aproximação com os clientes atuais e potenciais;
  5. Posicionamento estratégico frente ao mercado – consumidores, fornecedores e concorrentes.

O que é preciso para montar um e-commerce?

Para montar um e-commerce, além de planejamento financeiro, é preciso realizar cinco etapas para construir a loja online:

  1. Adquirir um domínio;
  2. Planejar o design do e-commerce;
  3. Escolher o servidor;
  4. Definir o sistema de pagamento;
  5. Fazer cobertura de tráfego (usando SEO).

Além disso, depois de criar a loja virtual, você tem que fazer fotos de produtos, adicionar descrições e fazer parcerias com os fornecedores e transportadoras.

Outra etapa importante é a definição do público-alvo, o que permite a elaboração de estratégias mais assertivas.

Agora que você sabe o que é e-commerce e o que é preciso para criar um, é hora de desenvolver uma estratégia de marketing digital para aplicar na sua empresa.

Se você não sabe por onde começar, o indicado é contar com uma agência de marketing digital, que atenderá tanto os requisitos técnicos, como a criação de um domínio na internet, quanto a divulgação para atrair visitantes ao seu site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados